Documentário da National Geographic sobre o neo-nazi na America

Anúncios

A supremacia branca neonazista chamado Craig Cobb, bem conhecido em Dakota do Norte por seus esforços para comprar terras em sua pequena cidade de Leith, e transformá-la em uma comunidade de supremacia branca , tem um toque de despertar desagradável na frente de um público televisionado nacionalmente.

Apresentadora de um Talkshow, Trisha Goddard acolheu Cobb em seu show como parte da ” Raça na América “. O homem de 62 anos auto-proclamado neonazista foi submetidos a um teste de DNA , convencido de que ele era de origem ariana pura .

Os resultados dos testes irônicas ? Acontece que Cobb é apenas 86 por cento Europeu. E os outros 14 por cento?

Cobb imediatamente tentou desmerecer os resultados como ” ruído estatístico “, e disse: ” Óleo e água não se misturam “, mas o barulho do público , juntamente com o riso desenfreado de outro convidado do Goddard – Uma mulher americana Africana vestida de trajes tradicionais – abafou as tentativas de Cobb em uma resposta.

Cobb disse mais tarde que ele concordou em reconheceu o teste do programa , porque ele ” assumiu que era a ciência “, mas afirmou que os resultados de DNA fosse um produto de ” covardes e executivos degradados “, cujo ” objetivo é chocar ” e ” promover o multiculturalismo “.

Nicarágua Sandinista

Na década de 1920, o camponês Augusto César Sandino iniciou a formação de um grupo revolucionário a fim de intervir no imperialismo na Nicarágua. Ele defendia a realização de um projeto de distribuição de terras e saída dos militares americanos que ocupavam o território do país.

Após conseguir a saída das tropas estadunidense do país, por meio de guerrilhas, Sandino aceitou assinar um acordo onde concordava em depor das armas mediante a preservação da soberania de seu país. Entretanto, acabou sendo assassinado um ano depois de cessar a luta armada, por militares liderados por Anastásio Somoza Garcia que desejava instalar um governo ditatorial alinhado aos interesses norte-americanos. Durante as décadas de 1930 e 1970, a família Somoza controlou os ditames da vida política nicaraguense.
Contudo, em 1961, um novo movimento guerrilheiro foi formado com o objetivo de acabar com a intervenção estrangeira e a opressão ditatorial. A partir da reunião de líderes, como Tomás Borge, Carlos Fonseca e Carlos Mayorga, fundou-se a Frente Sandinista de Libertação Nacional (FSLN). Seus partidários passaram a formar sindicatos, abrir escolas de alfabetização e organizar focos em favor do seu projeto de natureza socialista.

No início de 1978, com a morte do jornalista Pedro Joaquín Chamorro, que participava ativamente contra a ditadura da família Somoza, uma guerra civil tomou conta do país. Por meio de batalhas contra as forças governistas, a FSLN conseguiu dominar o Palácio Nacional de Manágua, na capital do país. Chegando ao poder por meio da formação da Direção Nacional da Frente Sandinista de Libertação Nacional, o novo governo representado por Daniel Ortega prometeu dar fim às mazelas que tomavam o país.

No plano político interno, os sandinistas promoveram uma aproximação com as nações do bloco socialista. Além disso, prometiam um amplo processo de desapropriação onde o Estado controlaria as terras e as demais forças produtivas do país. O projeto radical oferecido pelos sandinistas acabou não só incomodando os interesses do bloco capitalista, bem como de porções heterogêneas da população nicaraguense. Dessa maneira, a partir de 1981, formou-se uma ação contra-revolucionária no país.

Os oponentes do governo sandinista, popularmente conhecidos como “Contras”, tiveram o apoio financeiro dos Estados Unidos e de membros da alta cúpula católica do país. Durante toda a década de 1980, o governo sandinista enfrentou uma grave crise econômica que ampliou as forças oposicionistas e colocou a Nicarágua à beira do caos. Em 1990, a crise acabou configurando uma derrota eleitoral dos sandinistas e a eleição de Violeta Chamorro.

Trailer do filme: Gandhi

“África do Sul, 1893. Após ser expulso da 1ª classe de um trem, o jovem e idealista advogado indiano Mohandas Karamchand Gandhi (Ben Kingsley) inicia um processo de auto-avaliação da condição da Índia, que na época era uma colônia britânica, e seus súditos ao redor do planeta. Já na Índia, através de manifestações enérgicas, mas não-violentas, atraiu para si a atenção do mundo ao se colocar como líder espiritual de hindus e muçulmanos.”

Sugestão de Filme – Across The Universe

Across the Universe (Através do universo ou em todo universo) é uma produção americana de 2007 dirigida por Julie Taymor, de Frida. O filme retrata os anos 1960, com suas lutas, guerras e paixões, ambientando toda uma época através da obra dos Beatles. O elenco tem jovens talentos que interpretam e cantam, como o do inglês Jim Sturgess, a americana Evan Rachel Wood e o também inglês Joe Anderson. O filme também conta com algumas participações especiais de Bono do U2 e Joe Cocker, Salma Hayek.